A linguagem usada pelo leitor dará a você a chave,
a base para construir seu site.


Você tem uma lista de perguntas à mão?

Você não conseguirá concluir este capítulo até listar as possíveis perguntas dos visitantes. Você precisa dessas perguntas para extrair as palavras-chave e as expressões-chave que o leitor provavelmente usará.

Um trecho do manuscrito de "On The Road - Pé na Estrada", de Jack Kerouac

Que tipo de linguagem?

Inicialmente, você deve observar o tipo de linguagem que o leitor usará. Em geral, não é a linguagem que você usaria. Identifique e relacione as palavras que o leitor usará para se referir a itens e as frases exatas que ele usará para perguntar sobre eles.


Palavras e expressões-chave que o leitor usará

Em sua lista de perguntas, comece a reagrupar as palavras que o cliente usa com maior frequência.

Ele está em busca de "pensão ou hotel limpos em sua cidade, próximos da estação de trem". Talvez ele não procure "acomodação barata a uma distância razoável do transporte". Este é um tipo de mal-entendido entre leitores e criadores de sites que costuma ocorrer com frequência, por incrível que pareça.

Identifique as expressões que o visitante usa e reconhece com maior facilidade.


Localização

Observe que nem todas as palavras-chave têm a mesma importância. Geralmente, o local é crucial. Os leitores não procuram "ótimo restaurante japonês", e sim "restaurante japonês em Manhattan". A Web é vasta. Se você for uma empresa local, mencionar onde você está não só é importante, como essencial. 


Suas próprias palavras-chave

Liste também a linguagem específica e restrita que sua empresa está apresentando. Fale sobre o que o torna diferente e especial. Em termos de marketing, é possível chamar isso de nicho. Em termos de SEO, são "palavras-chave de cauda longa".

Por exemplo, as comodidades que o viajante encontra em uma pensão e que fariam com que ele quisesse voltar, como jazz ao vivo, aulas de culinária, sobremesas especiais ou até mesmo algo simples como vista para a montanha, também são o que as pessoas vão procurar especificamente na Web.


As expressões que os visitantes provavelmente usarão nos mecanismos de pesquisa

A forma como alguém pede informações falando ou quando faz uma pergunta ao Google costuma ser bem diferente. Cabe a você conhecer a linguagem que o cliente vai usar em cada um desses casos e adaptar seu site a ela. 


O erro comum: excesso de palavras-chave

É claro, sempre existe a tentação de colocar nos títulos do site e nas suas páginas somente o que você acha que o Google "gosta". 

Tenha cuidado para que os leitores também sintam que você está falando com eles. É melhor explicar tudo para os leitores, enriquecendo o tópico, do que tentar alimentar os mecanismos de pesquisa.

O Google também tenta detectar se há uma densidade anormal de palavras-chave. Se esse for o caso, talvez a página nunca apareça nos resultados.


Deixe o tópico determinar as outras palavras: o campo lexical.

Da lista de palavras que você coletou dos leitores, selecione as que têm mais chance de serem específicas do tópico que você está apresentando. 


Por exemplo, se eu fosse fazer uma lista de palavras: para-brisa, volante, transmissão, pneu, estrada, viscosidade, modelos...


E quero vender óleo. Você não cometeria o erro de achar que estou vendendo azeite de oliva extravirgem, pois todas as palavras que usei antes se enquadram no campo lexical de carro. Ao escrever para a Web, você precisa tentar manter o vocabulário usado claramente no mesmo campo lexical. Essa é uma forma de ajudar o Google a considerar seu site relevante.


>> Agora, vejamos no que você deve se concentrar ao

escrever suas respostas para criar as páginas do site.>>

Usar um vocabulário similar ao do leitor é uma forma de garantir a clareza